terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Apresentando: ChaoSphere

Em meados de 1999, na cidade do Recife, nasceu o "Chaosphere". A banda, que praticava um raro e perigoso misto de heavy metal com thrash metal,  logo destacacou-se na cena pela sua qualidade em uma época que o famigerado 'heavy metal melódico' reinava. Reinava não apenas no Recife, mas em todo o Brasil, com a ascensão de bandas como o "Angra" e o "Shaman", por exemplo.

Contudo, apesar de uma ótima resposta na cena local, a longevidade do Chaosphere não foi extensa; sua influência não espalhou-se para fronteiras além de sua terra natal e rendeu poucos frutos, como a demo "The Empire of Lost Souls" (2002) e o EP "Circle of Fools" (2005) e ótimo, porém não lançado oficialmente, debut "Hell is Here" (2007).


Na capital pernambucano, o grupo teve uma grande quantidade de apreciadores, sendo o "Dokas Hall" um dos espaços em que ocorreram a maioria dos shows da banda que, vez ou outra, ainda executava tributos a bandas como o "Slayer" e  o "Metallica" em festivais intitulados "Chaosfest" que, além do "Chaosphere', contavam com a presença de outras bandas pernambucanas. Uma das últimas, e fracassadas, etapas na carreira do "Chaosphere" foi a seletiva para o Wacken Open Air (famoso festival alemão dedicado ao heavy metal) que ocorreu na cidade de Salvador e, apesar de ser uma das favoritas ao 'título', o grupo acabou não vencendo a seletiva regional.


Além de recapitular a história do "Chaosphere", este post tem a intenção de divulgar esse excelente trabalho ("Hell is Here" que, por conta de divergências entre os músicos, não chegou a ser comercializado sendo, um ano depois de suas gravações, disponibilizado para download gratuito por Antonio Araújo - ex-frontman da banda e, hoje, guitarrista da banda de thrash metal paulista "Korzus". 

“Decidi colocar o álbum on line porque é um trabalho legal, que nos custou alguns anos de dedicação pra juntar a grana e fazê-lo”, comentou, há três anos atrás, Antonio Araujo.

"Hell is Here" foi gravado entre os meses de setembro e outubro de 2006, em São Paulo, com produção do músico Heros Trench - guitarrista do Korzus. Todavia, o disco, em sua integridade, só pôde ser ouvido em meados de 2008 atráves do, já citado, ato de Antonio Araújo. Na época, foram alegados diversos problemas para o atraso. Atraso este que perdurou até a dissolução da banda.

Arte frontal da única demo do grupo
Mas, felizmente, o álbum fora disponibilizado. Com uma excelente produção - além do esperado para o debut de uma banda nacional, digamos -, o disco possui dez faixas. Por conta da grande variação das composições, a audição do álbum não é cansativa. O trabalho de bateria, realizado por Wagner Campos, é explêndido, destacando-se em meio a uma saraivada de riffs e solos de guitarras - vide o trabalho dele em porradas como "Side by Side" e "Circle of Fools".

O principal compositor do grupo, o contra-baixista André Ribeiro, faz diversas linhas de baixo cativantes e criativas - ouça the "The Infantry", a vinheta "Sunset, Sunset" e a épica "The Empire of Lost Souls". Já o frontman, Antônio Araújo, se sai muito bem em linhas vocais que variam da agressividade do thrash metal, a momentos 'mais tradicionais'. Seu trabalho nas seis cordas, realizando riffs e solos, conseguiu ser ainda superior a sua performance como cantor. A faixa "The March Of Time", talvez, seja a que sentetize melhor seu trabalho, nos vocais e guitarras, dentre todas as faixas do disco.

Marcelo Andrade (integrante da primeira formação) no, hoje finado, "Dokas Hall"
Atualmente, André Ribeiro segue com um projeto similar a sua antiga banda - inclusive realizando, recentemente, covers de faixas do "Hell is Here"-, o "EvilGeist". O baterista Wagner Campos fez parte da banda de death metal pernambucana "Decomposed God" e Antonio Araújo, como já comentado, integra o Korzus. 

Enfim, fica disponível um dos melhores álbuns de heavy metal já feitos por uma banda de Pernambuco e que, além de tudo, representa um período bem fértil e nostálgico para fãs da música pesada desta região. Se gostar do disco, faça um favor mínimo ao trabalho dos músicos (que não lucraram com este disco)... espalhe-0. 



PS:
Não confundir; existe uma banda polonesa, de metal industrial, com o mesmo nome.


Ano de lançamento: 2007                 ChaoSphere - Hell Is Here

1. Welcome to the World 06:57   
2. The Infantry 04:46
3. The Legion of the Last Braves 05:50
4. The March of Time 06:20
5. Hunters 05:30
6. The Black Gate 05:20
7. Side by Side 05:49
8. The Circle of Fools 05:59
9. Sunset and Sunrise 02:46  
10. The Empire of Lost Souls 09:12

Download (mp3@192kbps)


Última Formação:
Antonio Araújo - vocais, guitarra
Eduardo Fonseca - guitarra    
André Ribeiro - baixo, vocais    
Wagner Campos - bateria    




http://www.myspace.com/chaosphere

10 comentários:

  1. Curtindo o álbum aqui, e posso dizer que é mais um caso de banda injustiçada no Brasil, clichê, triste, mas é a verdade.
    O instrumental dos caras é algo próximo do "anormal", os caras mandam muito bem em todos os instrumentos, esse baterista é algo fora do comum, os riffs dos caras são muito bons, solos idem, e o vocal, rasgado na medida certa, agressiva conforme pede o som da banda.
    Pode parece exagero, e novamente clichê, dizer que a banda não deve nada pra muita banda gringa por aí, mas também é verdade, pelo menos é a minha opinião.
    Infelizmente pode ter sido o caso de "banda certa na hora e lugar errados", porque os caras poderiam estar ai hoje em dia, lançando ótimos álbuns, se mantivessem esse nível.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, cara.

    O nível dos músicos é alto, as composições são ótimas e a produção é excelente. Uma pena mesmo, mas, como dito por você, algo comum. Infelizmente.

    Bem, o mínimo a se fazer é, ao menos, espalhar o som pra que ele não "morra".

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o Fernando. Cara, som foda. Quando comecei a ouvir nem tinha lido esse post e nem imaginava ser uma banda brasileira, mas fato de que foi a banda certa na hora e local errados.

    Ouvindo pilhada aqui, curti afu. Tem momentos que me lembra Metallica. Em Welcome to the world que senti isso.

    ResponderExcluir
  4. @Cris:
    Acho que as músicas desse disco me lembram, além do Metallica, o Iced Earth e Slayer.

    ResponderExcluir
  5. Eles tinham!!! influencia de METALLICA(Das Antiga) e SLAYER!!! muito foda. pena que a banca acabou antes de lançar o CD. Os cara so disponibilizaram pra DOWNLOAD pq ja tinha gravado e tals.

    ResponderExcluir
  6. Pude acompanhar de perto esse trabalho dos caras e via a vontade da galera de fazer esse disco, sangue nos olhos mesmo. Infelizmente as coisas rumaram para a não divulgação deste cd por vários motivos que não cabem aqui serem citados. Fica o sentimento de lamentação pelo oq poderia ser. É mais uma de muitas preciosidades que encontram-se perdidas e que somaria de forma grandiosa ao Metal nacional e mundial, tendo em vista a grande qualidade de tudo (produção, músicas, mixagem, etc) que há neste disco.
    Saudade desse tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boas observações e comentários, Telles.

      Lembro que quando Welcome to The World saiu, todos esperavam o disco com anseio e cogitavam um possível crescimento da banda. Infelizmente isso não ocorreu.

      O disco é excelente, mas é impossível ouvir sem lembrar dessa atmosfera e, claro, lamentar o fato da banda não ter vivido tempo suficiente nem pra lançar (oficialmente) o próprio debut...

      Excluir
  7. Por favor, crédito na segunda foto: Marcelo Andrade, que fez parte da primeira formação da banda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OK, irei editar. Obrigado pela observação.

      Excluir
  8. Galera, gostaria de obter as músicas antigas(da formação antiga, que tinha aquele gordinho cantando e tirando cada solo irado). Alguém pode me dar alguma informação?

    ResponderExcluir